Tags

, , ,

Essa relação de escravidão contemporânea, muito embora ocorra nas regiões mencionadas e em situações nas quais a sociedade não está organizada, em que não existe sindicalismo organizado, em regiões mais pobres, ao contrário do que todos imaginam, tal relação depende de um sistema altamente sofisticado. Por que esse sistema é sofisticado? Porque ele é pensado de forma extremamente inteligente. Em primeiro lugar, os trabalhadores são recrutados em uma região que não é aquela na qual vão prestar o trabalho. Esse fato tem todo um significado. Por que tal aspecto interessa? Porque são cortados os vínculos que o trabalhador tem com seu local de origem, com sua família, com seus amigos. Esse é o primeiro pré-requisito para que a coerção seja exercida de uma forma mais eficiente. Em segundo lugar, o que constitui o primeiro de uma série de crimes que vão sendo cometidos ao longo desse caminho: a contratação mediante promessas enganosas. São prometidos bons salários, boas condições, acima de tudo a possibilidade de aquele trabalhador trabalhar durante alguns meses para depois retornar para casa e para a família, tendo economizado uma certa quantia em dinheiro, que garantiria a sobrevivência dele e da família por algum tempo.

Essas falsas promessas dizem muito a respeito ao sonho de cada trabalhador individualmente, que é fazer um sacrifício durante algum tempo para poder voltar para casa, inclusive recebendo o apoio e o reconhecimento de seus familiares, com recursos suficientes para conseguir sobreviver durante algum tempo e poder realizar determinados sonhos: o sonho que se refere a um local para morar, que se refere a um sonho mínimo da mulher de ter um fogão decente… E o trabalhador, com relação a essas falsas promessas, é absolutamente vulnerável. Se ele parasse de sonhar, poderia optar pela marginalidade absoluta, que é também eventualmente uma forma de libertação. Conseguem reter uma pureza e uma ingenuidade que ainda permitem o sonho. E, por ironia do destino, é justamente essa pureza, essa capacidade de sonhar, que serve como um dos mecanismos de coerção, principalmente no momento em que são recrutados. Porque é o sonho que faz com que o trabalhador aceite essa proposta de trabalho, mesmo tendo de temporariamente abandonar a família e ir para lugar desconhecido.

No momento do recrutamento, quando os trabalhadores aceitam a proposta do gato – a figura que vai em busca desses trabalhadores e os recruta – o segundo crime acontece, sem que eles o percebam. Todo e qualquer documento dos trabalhadores fica em poder do gato, e esse é o segundo passo em direção à perda de mais um pedacinho daquilo que compõe a dignidade humana. O trabalhador está perdendo os seus liames com a família, com os amigos etc. Ao entregar seus documentos para o gato, dá mais um passo na direção de não ser ninguém, porque os documentos não serão devolvidos aos trabalhadores a não ser no final desse contrato, ??.

Alojamento – fazenda de trabalho escravo

 

Anúncios