Tags

, ,

“Ao som de seus romances, o velório de Dona Militana teve início pouco antes das 10h deste domingo, no Teatro Municipal Prefeito Poti Cavalcanti, na cidade de São Gonçalo do Amarante. Entre os presentes, o clima é de comoção e os parentes, visivelmente abalados, preferiram não conceder entrevista. O corpo da maior romanceira do Brasil permanecerá sendo velado até as 13h, quando será levado à igreja da cidade e após uma missa, marcada para as 14h, haverá o sepultamento no cemitério público do município.
Dona Militana Salustino do Nascimento morreu ontem, aos 85 anos de idade, por volta das 17h30. No momento em que faleceu, ela estava na sua residência, no bairro Santa Terezinha, em São Gonçalo do Amarante, na companhia dos seus sete filhos.”
 
 Do portal da Tribuna do Norte
 
 
 
 

Foto: retirada da internet

Dona Militana (Militana Salustino do Nascimento)

 Nascida em 19/3/1925 em São Gonçalo do Amarante, RN. É considerada a principal guardiã do romanceiro medieval nordestino. Em 1998, participou em São Paulo do espetáculo “Festejando Cascudo” em homenagem ao folclorista Câmara Cascudo promovido pelo músico Antônio Nóbrega. Participou também do vídeo “Câmara Cascudo, o provinciano incurável” exibido no ano seguinte na TV Cultura. Em 1999, participou do V encontro de Cultura Popular, no Teatro Alberto Maranhão, em Natal (RN). No mesmo ano, participou do CD “Romances e cantos de excelência” interpretando “Conde de Amarante”, “D. Branca”, “Nau Catarineta” e “Rei Afonso”, todas de autores desconhecidos. Ainda nesse ano, participou do CD “Songa também dá coco” interpretando “Vinheta em Pomaça”, de Cleudo Freire e “Romances populares”, de autor desconhecido. Em 2000, gravou o CD triplo “Cantares”, no qual interpretou cocos, romarias, desafios e fandangos em temas como “Romance de a bela infanta”, “O mouro e a estrangeira”, “Inácio da Catingueira”, “Boi madingueiro”, “Romance de reis”, “Mulher malvada”, “Coco da lagartixa”, “Manuel Passarinho” e “General dos Marotos”. Esse trabalho contou com as participações de Antônio Nóbrega, além de Mestre Salustiano e Eusébio Macaíba nas rabecas, Roberto Corrêa, na viola, Dolores Portela no cravo, Luca Reale no clarinete e o maestro Osvaldo D’ Amore, da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, no violino. No mesmo ano, participou de shows com Antônio Nóbrega em São Paulo. Segundo a pesquisadora Leide Câmara: “Dona Militana é considerada a mais importante romanceira do Brasil. É conhecedora de algumas dezenas de peças raras dos romanceiros ibéricos e brasileiros.”
[Fonte: dicionariompb.com.br]
 
 

O cd 1 contém:

 01 romance de clara arlinda
02 romance alzira
03 romance de rios preto
04 general dos maroto
05 a mulher traidora e o capitão traído
06 romance de dona branca
07 romance de a bela infanta
08 rosa
09 cabeleira
10 mulher marvada
11 o ingrato
12 romance de severo
13 rachão
14 boiadeiro
15 o mouro e a estrangeira
16 romance de in cio
17 guilermina
18 veia não beba o vinho

 O cd 2 contém:

01 romance de antonino
02 antonho sirvino
03 romance de reis afonso (paulina)
04 romance de sinhazinha
05 bem-te-vi
06 romance de leonor
07 romance de elisa
08 nau catarineta
09 manuel passarinho
10 romance de santa iria
11 romance do valente vilela
12 romance da moca moura
13 mane caetano
14 romance da princesa rosa
15 romance de juliana (d. jorge)
16 romance da nega preta
17 romance de maria
18 coco da lagatixa

O cd 3 contém:

01 romance de sirino
02 romance de telvina
03 romance da moca que queria casar
04 cafutinho
05 romance do lavrador
06 boi mandigueiro
07 rosalina
08 os piratas
09 romance do criolo timote
10 dona branca
11 romance de zezinho mais mariquinha
12 versos de monteiro
13 romance de alonso e marina
14 trovador
15 inácio da catingueira
16 pecador obstinado
17 nego piauizeiro
18 jornada de despedida

Dona Militana 2000 Cantares, cd 1
Dona Militana 2000 Cantares, cd 2
Dona Militana 2000 Cantares, cd 3
#
Mote:Dona Militana também gravou “Songa também dá côco”, de 1999. Em “Som barato”.

Anúncios