Tags

, , , , , , ,

A  poesia está viva… Não apenas quando ela é lida, dita, recitada… mas também quando é reinventada. O belo poema de Manoel Bandeira, “Vou-me embora prá Pasárgada”,  foi revisitado e reescrito pelo paraibano Jessier querino que é um arquiteto de palavras do imaginário nordestino.

Anúncios